terça-feira, 18 de setembro de 2012

Seitas Diabólicas - Parte 4 "A Congregação Cristão do Brasil"


Luigi Francescon, O Poderoso Chefão


Eu particularmente considero todos aqueles que na época chamados de "Calabreses" e "Sicilianos"  eram um tipo de Máfia, que até hoje se perdura por lá.
Então vendo Luigi Francescon, Italiano que andava de sapatos de verniz, roupas finas, como um andar de Gangster, considero ele e seu grupo como a "Máfia Santa", pois qualquer pessoa pode lembrar de All Capone e a sua Máfia.

Vejamos que foi Luigi Francescon ou Louis


 Desde sua naturalização como estadunidense) (Cavasso Nuovo, Província de Pordenone, 29 de março de 1866 — Oak Park, USA  7 de setembro de 1964) foi um religioso italiano, fundador da denominação evangélica Congregação Cristã no Brasil e da Assembleia Cristã na Argentina.


Proveniente de família pobre, era filho de Pietro Francescon e Maria Lovisa, não chegou a concluir o segundo ano da escola elementar.
Aos quinze anos foi para a Hungria, ganhou a vida até os vinte anos com a arte de criar mosaicos, um oficio bastante valorizado na época.
Serviu ao exército durante aproximadamente três anos. Aportou na América na cidade de Chicago no dia 3 de março de 1890, onde foi recebido pelo seu irmão Osvaldo Francescon com qual havia estado pela ultima vez na Hungria.

Michele Nardi

Conversão

Neste mesmo ano foi convertido por Michele Nardi, um evangelista adenominacional mas com comunhão com a Aliança Cristã & Missionária em 1891, e em 1892, junto dos irmãos de fé valdenses, fundaram a Primeira Igreja Presbiteriana Italiana, onde Francescon exerceu o ministério de diácono.
Na Igreja Presbiteriana Italiana conheceu Rosina Balzano com quem se casou no ano de 1895, teve seis filhos.
No ano de 1901, Francescon passa a desempenhar o ministério de ancião da Primeira Igreja Presbiteriana Italiana, suas memórias citam uma experiência pessoal, em princípios de 1894 quando estava em Cincinnati, Ohio, por motivo de trabalho. Ajoelhado em seu quarto, lendo Colossenses 2.12 (da Bíblia), que trata do batismo por imersão, Francescon teria ouvido, segundo seu relato, uma voz que lhe disse duas vezes:
"Tu não obedeceste a este meu mandamento"; ao que teria respondido: "Senhor, jamais alguém me falou neste assunto". Sua carreira de fé mudou após esse acontecimento. A partir desta experiência Francescon passa a questionar a prática do batismo por aspersão.
Nove anos após a revelação do batismo por imersão, em 6 de setembro de 1903, por motivo de viagem do pastor Filippo Grilli, Francescon como ancião presidia a reunião e teve a oportunidade de falar com a igreja sobre tal batismo.
Nesta reunião Francescon fez o convite a igreja para assistir ao seu batismo por imersão, realizado em 7 de setembro de 1903, no Lake-front de Chicago, onde compareceram ao todo 25 membros da Igreja Presbiteriana Italiana, dos quais 18 entre eles Francescon, foram batizados por Giuseppe Beretta, que fora batizado na Igreja dos Irmãos.

Algo Estranho:

Quando o pastor Filippo Grilli retornou, Francescon pediu para dirigir algumas palavras a igreja antes do sermão. Tendo permissão questionou a igreja sobre sua conduta durante a ausência do pastor, como nínguém testificou nada contra ele, novamente falou do batismo por imersão e em seguida apresentou sua demissão do cargo de ancião. Aqueles que foram batizados por Giuseppe Beretta acompanharam Francescon.
Assim iniciou-se naquele momento uma pequena comunidade evangélica livre, denominada Assembléia Cristã de Chicago, que realizava suas reuniões em residências.


Brasil
Da Argentina, seguiram até São Paulo, em 8 de março de 1910, onde permaneceram até 18 de abril, quando Lombardi retornou para Buenos Aires e Francescon seguiu para Santo Antônio da Platina, no Paraná, onde chegou dois dias depois. Durante sua estadia, onze pessoas creram no Evangelho, foram batizadas em águas e no Espírito Santo.
Por contrariar poderes religiosos estabelecidos na região, Francescon foi jurado de morte e regressou para São Paulo, em 20 de junho. Chegando naquela cidade, cerca de 20 pessoas (na maioria presbiterianos, batistas e metodistas, além de alguns poucos católicos romanos) creram na pregação de Francescon, alguns dos quais foram curados de enfermidades e outros selados com o dom do Espírito Santo. Francescon deixou a Felippe Pavan como ancião da Congregação Cristã no Brasil e retornou aos Estados Unidos.
Veio 10 vezes ao Brasil até 1948. Em 1940, o movimento tinha 305 "casas de oração" e dez anos mais tarde 815.
[editar]Outros países
Francescon começou igrejas em Los Angeles, St. Louis, e Filadélfia, antes de partir em missões no exterior na Argentina, Brasil e Europa. De seu trabalho surgiram várias denominações, tais como a Igreja Cristã da América do Norte, a Assembleia Cristã na Argentina, Assembleia de Deus na Itália e Congregações Cristãs Pentecostais. No entanto, Francescon se opunha a organizar formalmente uma denominação  e "ABANDONOU"  Igreja Cristã da América do Norte em 1949.

Suas Práticas e Doutrinas:
Pontos da  Doutrina da Cristã do Brasil.

Estes são os pontos negativos e que quase poucos membros desapercebidos não conhecem quando já estão testemunhados e pronto para serem batizados.
ELES (O CORPO DE ANCIÕES) ACREDITAM NA TRINDADE OU SEJA AQUELA TRINDADE DISFARÇADA, onde o PAI, FILHO e ESPÍRITO são as mesmas coisas.
Sabemos que qualquer Trindade é uma marca de "SATANISMO" REPRESENTA O "DELTA" "TRÊS". (A Igreja Católica, usa isso em seus atributos) 
Mas isso eles nunca mudaram.

Sempre a mesma confusão das "SEITAS" sobre "JESUS" que no capítulo três no Hinário alega que "ELE" é carne, e sendo "UM VERDADEIRO DEUS"  sendo "HOMEM e DEUS" ao mesmo tempo.
Logo penso que a ideia de transmitir  é que "JESUS É DEUS" sendo ele "ÚNICO SALVADOR" (portanto não tendo mais ninguém... sela o hinário, nesta monstruosidade) e está acima do seu próprio "CRIADOR"

O "BATISMO" também é feito sobre a "TRINDADE" , concepção errônea...

No capítulo 9, "DIZEM" que creem nas "CARNES LIMPAS" ou "KASHER"
Mas não praticam... pois a maioria destes "CRENTES" desconhecem sobre a "ABSTINÊNCIAS"  porque não são "ENSINADOS" pelos Cooperadores e Anciões.

Ao analisar o pensamento doutrinário da Congregação Cristã no Brasil, temos a impressão de que seus líderes criaram um Evangelho segundo a CCB. A maioria de seus adeptos defendem o pensamento errôneo de que a salvação só é possível na sua própria Igreja: "A gloriosa Congregação". Desenvolveram inconscientemente a doutrina da auto-salvação, ou da religião salvífica, e conseqüentemente, por tabela o monopólio da salvação, com todos os direitos reservados à CCB, uma espécie de "copyrigth".



 Outros erros doutrinários da CCB

De acordo com o exposto, a CCB não suportaria um exame sério das Escrituras, fato característico das seitas; porque sua interpretação foge às regras da hermenêutica sagradas. Tudo que acontece nessa Igreja está relacionado ao sentimento. É sempre necessário sentir para se realizar alguma obra ou até mesmo para orar por alguém. Essa teologia do sentimento afasta o homem de Deus e da Bíblia, como prova sua própria história.

a) A Saudação da CCB.

Saudar com a "paz do Senhor". Citam para justificar esse conceito a seguinte expressão: "devemos saudar com a paz de Deus, e nunca com a Paz do Senhor, porque existem muitos senhores, mas Deus é só um. Essa acusação da CCB se desfaz em pó com somente um versículo que Paulo escreveu na primeira carta aos Coríntios 8.5,6, que diz: "Porque, ainda que haja também alguns que se chamam deuses, quer no céu como na terra( como há muitos deuses e muitos senhores). Todavia para nós há um só Deus, Pai, de quem é tudo e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós por Ele". 

b) O Ósculo Santo.

A CCB insiste em adotar costumes orientais, muitos deles registrados na Bíblia, como é o caso do ósculo santo, pensando com isto estar em posição espiritual superior à dos outros. Esse é um costume que perdura até hoje no oriente. O ósculo era uma maneira comum de saudar no oriente, muito antes do estabelecimento do cristianismo. Tem servido igualmente como parte da expressão judaica em suas saudações, tanto nas despedidas como também na forma de demonstração geral de afeto. Ver Gn 29.11; 33.4. Também parece ter sido um sinal de homenagem entre os israelitas conf. 1 Sm 10.1. O ósculo dado aos ungidos de Deus, por semelhante modo, parece ter-se revestido de significação religiosa, o que também se verifica entre outras culturas. Quando Paulo recomendou que se saudasse uns aos outros com ósculo santo, simplesmente estava falando de um costume existente. Caso fosse no Brasil, certamente seria mencionado o aperto de mão ou o abraço. Essa é uma questão cultural, que também não é compreendida pela CCB.

c) O Dízimo:

CCB da a César o que é de César, mas quando é para dar a Deus inventam muitos argumentos e obstáculos. Ensinam os Anciãos da CCB que o dízimo é da lei e que é maldito e hipócrita aquele que dá e aquele que o recebe. A Bíblia ensina que o dízimo é santo; a CCB ensina que é profano. A Bíblia ensina que o dizimo é do Senhor (Lv 27.30); a CCB ensina que o dízimo é para ladrões. Jesus não condenou a prática do dízimo (Mt 23.33); condenou, sim, os hipócritas que desprezavam os principais preceitos da Lei de Deus, mas não condenou o dízimo praticado até pelo pai dos crentes, Abraão.( Gn 14.20). O Autor da epístola aos Hebreus falou sobre a prática do dizimo na atual dispensação. ( Hb 7.8-9).












2 comentários: